Extintor automotivo: o que você precisa saber sobre

O ano começou com mudanças para o equipamento e gerou polêmica entre os motoristas que precisavam adquiri-lo.

Item de segurança obrigatório no Brasil, o extintor automotivo ganhou destaque nos últimos dias tanto na mídia quanto “na boca” de quem precisava adquiri-lo. O motivo é a resolução 333/2009 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que entrou em vigor no primeiro dia do ano e estabelece que os carros devem estar equipados com os extintores ABC, e não mais com o antigo modelo BC.

O novo modelo (ABC) é considerado mais eficiente, pois possui em sua composição a substância necessária para combater incêndios do tipo “A”, como o estofado do carro por exemplo. Na versão antiga, só era possível combater incêndios de líquidos inflamáveis e equipamentos elétricos. O preço é de R$ 65 a R$ 90 reais e a multa para quem circular sem o extintor é de R$ 127,69, além de cinco pontos na carteira. Vale lembrar que o plástico protetor também precisa ser retirado. Caso contrário, a multa também pode ser aplicada por dificultar o acesso ao item.

Desde 2005, todos os veículos produzidos no Brasil já saem com o extintor novo, porém os veículos fabricados até 2004 precisam fazer a reposição. Com isso, a procura pelo equipamento superou o estoque e obrigou o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) a adiar por 90 dias o início da obrigatoriedade.

Para quem já possui o novo modelo, os bombeiros alertam para três detalhes que podem afetar o resultado caso haja a necessidade de utilização: o equipamento tem que estar com o lacre, a pressão deve estar no ponteiro apontado para o verde e a data de validade precisa estar em dia.

Fonte: http://blogcaminhao.mercedes-benz.com.br/